sábado, 25 de abril de 2015

Vigésimo livro do ano que li.... da mãe da Literatura Marginal.


Salve CAROLINA MARIA DE JESUS




Estamos no final de abril, quatro meses de 2015.
Estava lendo uma média de 4 livros por mês, mas abril rendeu e e média subiu pra 5 livros por mês, quero manter agora.
O vigésimo do ano foi um livro que ganhei de presente do amigo Marciano Ventura.
Esse livro faz parte das comemorações do centenário da escritora Carolina Maria de Jesus (1914 / 2014).
Onde Estaes Felicidade de Carolina Maria de Jesus (146 páginas), contém 2 contos inéditos até então, da autora e alguns ensaios sobre ela.
Um livro importante pra conhecer melhor a mãe da Literatura Marginal. Autora do clássico QUARTO DE DESPEJO - Diário de Uma Favelada.
Um dos contos desse novo livro é na linha de QUARTO DE DESPEJO, mas o que dizer do belo conto que dá nome a essa obra ?
Onde Estaes Felicidade é um conto incrível, vou ver de novo ele, mostra outro lado da autora, um conto de ficção e romance.
Vale muito a pena ler.... parabéns a todos responsáveis por esse livro existir.


Literatura (é) a Cura.

Eu, Alessandro Buzo já li 20 livros em 2015.
* Muito acima da média da população mundial.

(01) - DOWN - A SÍNDROME DO ACASO de Odete Paschoal (Edicon - 96 páginas)
(02) - Quilombo - Terra da Esperança (132 páginas) de Hélvio Gomes Cordeiro.
(03) - Se Eu Tivesse Meu Próprio Dicionário (88 páginas) do Ni Brisant
(04) - NELSON TRIUNFO - Do Sertão ao Hip Hop de Gilberto Yoshinaga (Shuriken Editora - 368 páginas)
(05) - O SOVREVIVENTE - De refugiado a escritor e outras histórias de Hans Freudenthal(Edicon - 112 páginas)
(06) - TERRA FÉRTIL da Jenyffer Nascimento (168 páginas)
(07) - PALESTRA - Lágrimas Futebol Clube do Marcos Teles (Editora Dsop - 60 páginas)
(08) - UM VEZ POETAS AMBULANTES... (coletânea de poemas)
(09) - "A MENINA QUEBRADA" de Eliane Brum (Arquipélago Editorial - 432 páginas)
(10) - FIEL de Jessé Andarilho (Editora Objetiva - 216 páginas)
(11) - "Escritório de Pensamentos" do Mano Ril (120 páginas).
(12) - "CONSERVE-SE" do Ge Ladera (64 páginas)
(13) - "Os Caminhos de Mandela" de Richard Stengel (Principium - 190 páginas)
(14) - Nóis é Ponte e Atravessa Qualquer Rio de Marco Pezão (Reza Brava - 136 páginas)
(15) - EU SOU FAVELA (NOZ - 80 páginas), autores: Alessandro Buzo, João Anzanello Carrascoza, Rodrigo Ciríaco, Sacolinha, Marcelino Freire, Marçal Aquino, Victoria Saramago, Ferréz e Ronaldo Bressane.
(16) - "NA PÓ DI SPÉRA - Percurso nos bairros da Estrada Militar, de Santa Filomena e da Encosta Nascente" de Sónia Vaz Borges (Principia - 152 páginas)
(17) - JUSTA PALAVRA de Marcio Costa (RG Editores - 88 páginas)
(18) - Ventos de Chuva de Rosana Banharoli - (76 páginas)
(19) - EU, Christiane F.,A Vida Apesar de Tudo de Christiane V. Felscherinow com Sonja Vukovic (Bertrand Brasil - 266 páginas).
(20) - Onde Estaes Felicidade de Carolina Maria de Jesus (146 páginas)

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Sobre a segunda parte de CHRISTIANE F., que muitos fãs nem sabe que existe.

RESENHA: EU, Christiane F.,A Vida Apesar de Tudo
Por: Alessandro Buzo



Li em dois dias, ou 48 horas (terça a noite à quinta a noite, 23/04/15) o livro: EU, Christiane F.,A Vida Apesar de Tudo de Christiane V. Felscherinow com Sonja Vukovic (Bertrand Brasil - 266 páginas).
O livro Christiane F., 13 Anos drogada e prostituída, foi um marco na minha vida. Me fez "voltar a ler" num período difícil, antes de eu me tornar escritor.
Li o primeiro livro duas vezes e devo ter visto o filme duas ou três vezes, a primeira num relançamento num pequeno cinema no centro de São Paulo, hoje um cine pornô.
Christiane F pra mim era um símbolo de entrada na literatura, mas o que aconteceu com o verdadeira Cristiane F (de Felscherinow) depois do que o livro mostrou ? Como ela estaria ? Será que se manteve limpa como o final do primeiro livro sugeria ? Sonja Vukovic, jornalista que escreveu essa segunda parte responde: - Sim, as drogas sempre fizeram e continuam fazendo parte de sua vida. Mas, justamente são apenas parte de sua vida.
Ela vive a mais de 30 anos do dinheiro que gera o seu best seller, traduzido pra diversos países e línguas. Mas esse sucesso muitas vezes incomoda ela, alguns fãs pedem pra tirar foto com ela, mas sabe que não queriam que seus filhos fossem amigos do filho dela, aliás Phillip, seu filho, foi algo importante que fez e apesar de ser uma super mãe, teve o menino retirado dela e isso a fez interromper quase uma década limpa.
Christiane F., diz: Depois de 35 anos, eu ainda estou viva. Quem poderia imaginar que um dia eu chegaria aos 51 anos.
A imprensa (principalmente alemã) não a faz gostar da fama, com matérias sensacionalistas e algumas vezes mentirosas.
A jornalista Sonja Vukovic conseguiu a atenção dela quando tocou seu interfone e como ela disse: - Deixa seu cartão ai, não aproveitou pra fazer como a maioria.....
Christiane diz: - Sonja foi a primeira jornalista a não se aproveitar da oportunidade e correr até minha porta. Não tentou olhar pelas frestas nem ficou perguntando aos vizinhos: Como é viver sob o mesmo teto que a Christiane F.
Com isso nos traz um livro que responde todas minhas dúvidas, não posso dizer que fiquei feliz lendo o livro e vendo que ela continuou fazendo na vida, péssimas escolhas como na adolescência, que usou muita droga depois do fim do primeiro livro que dava a entender que ela havia conseguido vencer as drogas. Ela é uma mulher que tem problemas de saúde por conta de vida desregrada, uma mãe boa que lida com o fato de ser famosa por ter se tornado pop star de várias gerações que conheciam sua história, mas não como continuava, agora sabemos.
Apesar dela não ter uma ótima relação com seus fãs, entende eles e sabe que por causa deles que vive a tanto tempo do que esse livro trouxe pra ela de bom.
Eu sou um fã dela assumido, agora mais ainda.... ela é de verdade, não é mais a garota de 13 anos drogada e prostituída, agora ela é uma mulher de 51 anos.
Queria um dia conhecer Christiane F., pessoalmente e dizer o quanto seu livro foi importante na minha vida.
É isso,

Alessandro Buzo
escritor


Literatura (é) a Cura.

Livros que Alessandro Buzo leu em 2015.

(01) - DOWN - A SÍNDROME DO ACASO de Odete Paschoal (Edicon - 96 páginas)
(02) - Quilombo - Terra da Esperança (132 páginas) de Hélvio Gomes Cordeiro.
(03) - Se Eu Tivesse Meu Próprio Dicionário (88 páginas) do Ni Brisant
(04) - NELSON TRIUNFO - Do Sertão ao Hip Hop de Gilberto Yoshinaga (Shuriken Editora - 368 páginas)
(05) - O SOVREVIVENTE - De refugiado a escritor e outras histórias de Hans Freudenthal(Edicon - 112 páginas)
(06) - TERRA FÉRTIL da Jenyffer Nascimento (168 páginas)
(07) - PALESTRA - Lágrimas Futebol Clube do Marcos Teles (Editora Dsop - 60 páginas)
(08) - UM VEZ POETAS AMBULANTES... (coletânea de poemas)
(09) - "A MENINA QUEBRADA" de Eliane Brum (Arquipélago Editorial - 432 páginas)
(10) - FIEL de Jessé Andarilho (Editora Objetiva - 216 páginas)
(11) - "Escritório de Pensamentos" do Mano Ril (120 páginas).
(12) - "CONSERVE-SE" do Ge Ladera (64 páginas)
(13) - "Os Caminhos de Mandela" de Richard Stengel (Principium - 190 páginas)
(14) - Nóis é Ponte e Atravessa Qualquer Rio de Marco Pezão (Reza Brava - 136 páginas)
(15) - EU SOU FAVELA (NOZ - 80 páginas), autores: Alessandro Buzo, João Anzanello Carrascoza, Rodrigo Ciríaco, Sacolinha, Marcelino Freire, Marçal Aquino, Victoria Saramago, Ferréz e Ronaldo Bressane.
(16) - "NA PÓ DI SPÉRA - Percurso nos bairros da Estrada Militar, de Santa Filomena e da Encosta Nascente" de Sónia Vaz Borges (Principia - 152 páginas)
(17) - JUSTA PALAVRA de Marcio Costa (RG Editores - 88 páginas)
(18) - Ventos de Chuva de Rosana Banharoli - (76 páginas)
(19) - EU, Christiane F.,A Vida Apesar de Tudo de Christiane V. Felscherinow com Sonja Vukovic (Bertrand Brasil - 266 páginas).

O que a mídia gosta de mostrar da periferia.

Por: Alessandro Buzo

Geralmente acordo todo dia bem cedo, fico na internet (fazendo mil coisas), lendo e escrevendo e vendo tele-jornais na TV.
Começo pelo Jornal do SBT Manhã que começa às 4h da manhã, ou SportvNews (quando teve jogos no dia anterior), às 5h passo pra Globo, vejo o H1, depois Bom Dia SP e Bom Dia Brasil, já cansado de tanta notícia ruim e dependendo da minha agenda do dia, as vezes vejo o Fala Brasil da Record.
Assim é minhas manhãs, faço café e fico twittando, atualizando Blogs e Redes Sociais e respondendo ou mandando emails. A TV ligada, as vezes não dou atenção e quando a matéria me chama a atenção, paro pra olhar.
Hoje era uma dessas manhãs (sexta 24/04/15), na minha casa no litoral.
No Jornal do SBT Manhã uma matéria sobre Funk Ostentação (chamado na matéria de Funk Ousadia), nela os MCs menores de idade como o MC Brinquedo (13 anos) e MC Pedrinho (12 anos) e suas letras proibidas que falam de sexo que eles ainda nem fizeram, sem graça o MC Brinquedo se diz virgem.
Outra coisa, ele cantou uma versão ligth de sua música pra repórter na sua casa, disse que a versão dos show não canta em casa em respeito a sua irmã e sua mãe.
Contradição enorme, as irmãs dos outros pode.
Na matéria fala ainda empresário e mãe, adultos que lucram com menores cantando pornografia.
A mãe ganhou um carrão, o menor de 13 anos pretende comprar um apartamentinho (palavras dele).
O empresário cuida de 14, ganha muito e admite.
Deu pra perceber que a matéria foi longa.
Com frequência SBT e Record fazem essas matérias do Funk.
Eu pergunto: - Porque a mídia ama mostrar isso ?
E mais: - Porque só mostra coisas ruins como os programas policialescos que pedem redução da maioridade penal, que elegia a polícia de São Paulo como se fosse boa.
Existe em São Paulo, pra combater a toda esse circulo vicioso (ontem no mesmo SBT Manhã o tema era: - Menores que engravidam em bailes funk e não sabem quem é o pai)..... enfim, pra combater isso e o crime, que é uma opção real nas quebradas, existe o Hip Hop, a Literatura, os saraus, os poetas, os sambas e vários projetos culturais que mostrei por 3 anos no SPTV.
Até esse espaço legítimo da periferia perdemos, o André Caramante (jornalista) quando era da FOLHA de S.PAULO mantinha uma coluna Hip Hop na revistinha DA HORA que vem aos domingos no Jornal Agora, perdemos um espaço atrás do outro pras coisas boas, em vez disso a mídia baba no funk ostentação como se fosse bom, além dos mcs ficando milionários, o que mais tem de bom ?
Mas são matérias atrás de matérias, o MC Guimé não sai da Globo, o Mc Gui não sai do SBT e Record, enfim.... tem espaço, um espaço que o Hip Hop nunca teve, parte por culpa do movimento que seguia a cartilha dos Racionais Mc´s e parte porque a mídia nunca quis mostrar, quer o Mano Brown justamente porque ele esnoba a mídia, mas não mostra os outros, mal mostram e dão espaço pra Emicida, Projota, Criolo.
As pessoas tem medo de sair na rua de tanto que o Datena e o corta pra mim diz que você vai ser roubado, morto. Com grandes chances de ser um menor.
Porque a mídia não mostra o lado bom ?
O medo da ibope e mantém pessoas em casa vendo TV ?
Será só por isso ? Ou tem alguma coisa pior por trás.
Existem mais de 100 saraus pela cidade, de jovens que se interessam por poesia e literatura, porque não mostram isso em matérias grandes como a do Funk ?
Existe um exército de escritores e escritoras nas periferias do Brasil e principalmente em São Paulo, alguém que nasceu e cresceu com tudo contra, estudando nas escolas públicas e lançam um livro, merecem ou não ter sua história contada.
Quando era novidade, Ferréz, Alessandro Buzo (eu mesmo), Sérgio Vaz e outros pioneiros, até tivemos algum espaço, mas agora, com dezenas ou centenas de autores, não mostram mais.
Quem não queria saber como Jennyfer Nascimento, Tubarão Dulixo, Jefferson Santana, Mel Duarte, Ni Brisant, Daniel Minchoni, Mano Ril, Marah Mends e tantos outros se tornaram escritores ? Não daria ótimas matérias ? Contar suas histórias de vida, como acabaram lançando livro ?
Mas ninguém mostra.
A mídia tenta parecer que se preocupam com a sociedade e o bem estar da população, mas na verdade mostram o que querem e quando querem....
Chega do lado ruim, do negativo.... precisa mostrar o que tem de opção pra fugir do circulo vicioso, pra que amanhã a gente não faça mais matérias sobre menores que engravidaram num baile e nem sabem que é o pai.

Alessandro Buzo
escritor

quinta-feira, 23 de abril de 2015

FERIADO EM SÃO PAULO.





Escrevendo e lendo bastante.....

***
Por: Alessandro Buzo

Cada vez me sinto melhor em viver 50% em São Paulo, 50% no Litoral Norte... além disso, meu trabalho me possibilita estar sempre no contra fluxo.
Quando o povo lota as praias, eu fico em São Paulo, quando a capital entra no ritmo normal de trânsito e caos, eu vou pro litoral.
Nesse último feriadão foi bem essas, fui pra praia quinta a tarde, antes da muvuca (que seria na sexta), no sábado, praia lotada e eu voltando pra São Paulo, a noite tinha trabalho, ir na festa do Projeto Absolut - Transform Your City do qual fui curador, foi na Móoca.
Domingão tirei pra família, ficamos juntos e no final da tarde curti com meu filho a semifinal Palmeiras x Corinthians e a queda de Itaquera, zoamos muito nas redes sociais, meu filho estava hiper, mega feliz.
Ia voltar pra praia segunda, mas tinha umas coisas pra fazer em São Paulo, logo cedo fui no Itaim Paulista, minha quebrada.
Resolvemos adiar, não sei se chamo ida ou volta, pra praia, pra terça feriado.
Acordei na terça e via o Guia da Folha, o filme Velozes e Furiosos 7 que meu filho queria ver estava em cartaz perto de casa num shopping, numa sessão 12h20. Por mim, jamais iria ver esse filme, sete ? Enfim... é o filme que os meninos da escola comentam que foram ver, eu sou eu, meu filho é um pré-adolescente de 15 anos. Resolvi em vez de ir pra praia cedo, ir ver o filme antes, já que meu filho iria (e ficou) em São Paulo, aos cuidados de terceiros. Fomos, EU (Buzo), Marilda e Evandro.
Chegamos no shopping (odeio shopping, principalmente lotado), mas essa hora (meio dia) estava vazio. Um lanche e um basquete no Parque pra passar o tempo até 12h20.
Foi ai que meu filho, que nem sempre vem junto pra praia, não gosta tanto assim, além da escola..... soltou essa: - E ai filho, gostou do passeio ??
- É, pelo menos dessa vez vocês me abandonaram com estilo.
Vê se pode.
Antes de ir embora comprei numa livraria o livro EU, CHRISTIANE F, A VIDA APESAR DE TUDO, a segunda parte da história de Christiane V. Felscherinow, o primeiro livro é muito importante na minha vida e escolha em me tornar escritor.
Depois de abandonar o filho com estilo, estou no Litoral Norte, com praia vazia e lendo esse livro.
Esse vai e volta, litoral, São Paulo, vai permanecer pra todo sempre até quando eu só voltar a São Paulo à trabalho.
Me preparando pra envelhecer num lugar melhor, na natureza.
Com estilo.



Alessandro Buzo
escritor

Twitter: @Alessandrobuzo
www.buzo10.blogspot.com

terça-feira, 21 de abril de 2015

Suburbano Convicto Produções - Desde 2004



* Realiza os eventos: Sarau Suburbano (semanal no Bixiga) e Favela Toma Conta (agora anual, no Itaim Paulista)
* Administra a Livraria Suburbano Convicto no Bixiga, especializada em Literatura Marginal
* Administra a carreira de Alessandro Buzo (escritor, cineasta e apresentador TV)

Para contratação >

ALESSANDRO BUZO

* Palestra, seminários, curadoria (especialista em cultura da periferia) e apresentação de eventos.

Contrate ainda os eventos

Sarau Suburbano, apresentação Alessandro Buzo e Tubarão Dulixo.
www.sarausuburbano.blogspot.com

Favela Toma Conta (show Hip Hop), apresentação Alessandro Buzo.
www.favelatomaconta.blogspot.com

CONTATOS:
(11) 98218-7512
(11) 98429-4452
c/ Marilda

Twitter: @Alessandrobuzo

www.buzo10.blogspot.com

domingo, 19 de abril de 2015

TRANSFORM YOUR CITY - A FESTA



Buzo - Curador do TRANSFORM YOUR CITY



Buzo, Heloísa e o Mestre Nelsão



Buzo + Venga Venga

Fotos: Marilda Borges

Ontem (sábado 18/04/15), aconteceu a FESTA do Projeto TRANSFORM YOUR CITY do qual eu (Buzo) fui CURADOR.
Foi a mostra do que produziu juntos os coletivos culturais....

Z/L - Nelson Triunfo + Venga Venga
Z/O - Quilombaque + Metanol
Z/S - Sobrenome Liberdade + Coletivo PI
Z/N - Projeto Cicas & Acadêmicos de São Jorge + Bijari

O evento rolou junto ao Museu do Imigrante na Mooca, Maria Fumaça pra levar os convidados até a festa...
Pra cada coletivo das quebradas, sobrou um LEGADO, essa parte do projeto foi muito bacana.
Quanto a festa, foi mil grau.
Esse é o ABSOLUT - TRANSFORM YOUR CITY
Nóiz q ta !!
Alessandro Buzo











QUILOMBAQUE



Coletivo PI (de roupa)



Mariana Soldi e Buzo, amizade além do trampo





Rafa e Buzo







Amiga (entre o Buzo e a Marilda) leu meus dois livros FAVELA TOMA CONTA no último mês





Tiago Pastoreli e Buzo



Metropolis cobriu

sábado, 18 de abril de 2015

Literatura (é) a Cura.

Fico feliz que em 2015 voltei a ler com frequência e quantidade, média de 4 livros por mês.

Terminei um que estava lendo e li outros 2 numa tacada só (cada).
NA PÓ DI SPÉRA - Percurso nos Bairros da Estrada Militar, de Santa Filomena e da Encosta Nascente. De Sónia Vaz Borges (principia - 152 páginas). Esse livro mostra que periferia é periferia em qualquer lugar, até em Portugal.

Depois de vagar pelas periferias da Europa, vim direto pra zona leste de São Paulo, li o livro JUSTA PALAVRA de Marcio Costa (RG Editores - 88 páginas), são 30 mini contos que o autor publica em seu Blog e reunidos virou esse livro de linguagem popular e fácil leitura. O autor conta causos de viagens, peças de teatro que foi assistir e coisas do cotidiano, seguindo a linha do bom humor, um livro bom de ler, só sei que foi assim.

Foi então que li em meia hora as poesias de Rosana Banharoli reunidas no livro: Ventos de Chuva (76 páginas). Conheci a autora na Casa da Palavra em Santo André, onde ela trabalha, uma amante da literatura e da poesia.




PRÓXIMAS LEITURAS.

Comecei a ler hoje (18/4/15) o livro: Onde Estaes Felicidade ? de Carolina Maria de Jesus, publicado em 2014, ano do seu centenário e que traz 2 textos inéditos da autora, considerado por muitos como a mãe da Literatura Marginal, autora do clássico Quarto de Despejo - Diário de Uma Favelada.

Ontem aqui no Litoral Norte (Camburi) achei numa pequena Livraria/Loja de Conveniências, um dos livros que estava procurando e comprei, depois de Carolina Maria de Jesus vou ler "Desde Que o Samba é Samba de Paulo Lins (Planeta - 302 páginas).

A literatura alimenta, te faz melhor, mais inteligente. Desde que passei a vir com frequência pro litoral, voltei a ter um lugar bom pra ler. A três anos e meio comprei o primeiro carro da minha vida e com o carro perdi o lugar que mais lia, as conduções.
Passei três anos lendo menos porque em casa (em São Paulo) e na minha Livraria Suburbano Convicto no Bixiga, eu não estava conseguindo ler tranquilo, em casa mulher e filho, na Livraria sempre entra alguém e interrompe a leitura.
Aqui na praia, estou terminando um livro e começando outro. A pilha enorme de livros que tinha pra ler está diminuindo. E eu me torno uma pessoa melhor. Porque LITERATURA (é) A CURA.

A FESTA !!

ABSOLUT - TRANSFORM YOUR CITY
CURADOR: Alessandro Buzo



Hoje (Sábado 18/04/15) é a Festa do ABSOLUT - TRANSFORM YOUR CITY do qual fui curador (Buzo), um projeto que ligou 4 coletivos (Venga Venga, Metanol, Coletivo PI e Bijari), com 4 coletivos culturais da periferia.

* Sarau Sobrenome Liberdade (Z/S), grajaú.
* Nelson Triunfo e a dança de rua (Z/L), Tiquatira.
* Projetos Cicas e Escola de Samba Acadêmicos de São Jorge (Z/N), Jd Brasil.
* Quilombaque (Z/O), Perus.

Juntos..... o resultado é hoje.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Um dia bom de se viver...... 15 anos de carreira >>> Primeira PALESTRA no ESCURO.



Com LUZ



Sem LUZ





Fotos: Marilda Borges

Ontem (quarta 15/04/15), fui fazer uma palestra na Casa da Palavra no centro de Santo André.
Até ai normal........
Horário da palestra 19h e faltando 15 minutos caiu um pé d´água.... choveu muito, tinha chegado umas três pessoas, a luz começou a ir e voltar.
Achei que não iria rolar, mas a luz voltou, a chuva diminuiu..... e chegou uma GALERA.
A gente começou e chegou outra turma das quebradas... tinha começado a 3 minutos, esperamos eles se acomodarem e começamos de novo.
Com uns 10 minutos de palestra, acabou a LUZ e não voltou mais.
Falei: - Vamos esperar a luz voltar..... ou paramos ?
Bastou um jovem agitar: - Continua, estamos te ouvindo.....
Outros apoiaram.
Foi bonito de viver...... FIZ A PALESTRA NO ESCURO, falei mais de uma hora sem LUZ. Sem LUZ não.... só com a lanterna do celular dos jovens presentes.
Já fiz palestra pra empresário, em cadeia, escola, fundação casa, em Bienal do livro, em Fórum Social Mundial e até em outro país, mas NO ESCURO em 15 anos de carreira, foi a primeira vez.
A todos que estiveram na minha palestra ontem, quem está nas fotos (ou não), obrigado. Nunca vou esquecer essa noite.... foi lindo de se viver.
Se sentindo renovado...... pronto pra seguir na missão.
Alessandro Buzo
escritor



Rosana Banharoli, sempre bom fazer novos amigos





Começou com LUZ



Só o flash da Marilda que iluminou a foto



As fotos no final foram do lado de fora, na garoa.





Alessandro Buzo e a Professora Alessandra.





Jovem me mostrou uma poesia dela muito boa no celular, assim que chegar por email eu publico.



Buzo e Benê



Mano enfrentou o medo e rimou meio nervoso..... mas levou 1 livro: Poetas do Sarau Suburbano - Vol 2













Mano da "LUZ" ganhou um DVD do filme PROFISSÃO MC





quarta-feira, 15 de abril de 2015

PROMOÇÃO 2 livros da trajetória Alessandro Buzo, Favela Toma Conta 1 e 2 com frete gratís.



R$ 25,00

Conheça a história de Alessandro Buzo, escritor da periferia, um dos pioneiros da Literatura Marginal, cineasta e militante.
Buzo cresceu no Itaim Paulista, extremo leste de São Paulo, passou por inúmeras dificuldades, uso de drogas por mais de uma década.
O Hip Hop, a literatura e a construção de uma família (Buzo é casado a 17 anos e tem um filho de 15) o fez mudar radicalmente de vida.
Lançou o primeiro livro em 2000 e até aqui foram 11 livros, um filme como diretor e ficou 6 anos na TV mostrando a cultura da periferia, primeiro no Programa Manos e Minas da TV Cultura e depois no SPTV 1a edição da Globo.
Nas 2 partes da biografia, você vai saber como tudo isso aconteceu e como foi possível.

FAVELA TOMA CONTA (2007 - Aeroplano Editora - 284 páginas) - R$ 25,00
Favela Toma Conta 2 - A Literatura e o Hip Hop Transformaram Minha Vida (Edicon - 2014) - R$ 35,00
SEM FRETE !!!! Só R$ 60,00



R$ 35,00

Comprando até o final de abril, as duas partes da biografia de Alessandro Buzo, vc só paga os livros e o frete é gratís pra qualquer parte do Brasil.
R$ 25,00 + R$ 35,00 = R$ 60,00 - FRETE GRATÍS


Deposite....

Itaú
Ag 0003
C/C 33369-7 em nome de Suburbano Convicto Com. de Livros Ltda, CNPJ: 10.216.137/0001-31
Avise por email e passe endereço envio: suburbanoconvicto@hotmail.com
* Não precisa SCANNER, conferimos via internet.


***

Quem é Alessandro Buzo ?



Alessandro Buzo tem 42 anos, nascido e criado no Itaim Paulista, extremo da zona leste de São Paulo.
Vida comum de periférico, trabalhando pra sobreviver desde os 13 anos de idade.
No ano de 2000, lançou independente o livro , O TREM - BASEADO EM FATOS REAIS. (500 exemplares)
A partir daí mudou sua trajetória........ Hoje, Alessandro Buzo é.....
Autor de 11 livros, entre eles Guerreira, Hip Hop - Dentro do Movimento....
Lançou em 2014 .... Favela Toma Conta 2 - A Literatura e o Hip Hop Tranformaram Minha Vida.
Organizador de 7 coletâneas literárias, 5 vol. do Pelas Periferias do Brasil e 2 Vol. do Poetas do Sarau Suburbano.
Idealizador e apresentador do Sarau Suburbano, semanal, no Bixiga, na Livraria Suburbano Convicto.
Diretor (junto com Toni Nogueira) do filme Profissão MC (ficção, 2009, 52 min), disponível no YOUTUBE , traz no elenco Criolo Doido, Da Antiga, Dj Dan Dan, Rappin Hood e grande elenco.
Fez o quadro Buzão - Circular Periférico por 3 anos no Programa Manos e Minas da TV Cultura.
De setembro de 2011 à setembro de 2014, apresentou o quadro SP CULTURA no Jornal SPTV 1a edição da Rede Globo, quadro semanal com a cultura da periferia.
Organiza desde 2004 o evento "FAVELA TOMA CONTA", até aqui foram 28 edições realizadas.
Pai do Evandro Borges (15 anos) e casado a 16 anos com Marilda Borges que além de esposa é minha produtora e fotografa.